A vaca que eu não fiz



Essa foi a vaca que eu não fiz para a "Cow Parade".
Para quem não é de São Paulo e não está sabendo, a cidade está repleta de vacas.
Cada uma pintada por uma pessoa diferente.
Esse é um evento que ocorre em várias cidades do mundo e esse ano aqui em São Paulo.

Cheguei a ver uma notícia sobre a inscrição no site Universo HQ.
Mas infelizmente só vi uma semana depois do prazo encerrado.

Essa vaca que vocês estão vendo aí, eu fiz há uns dois meses atrás para meu amigo Fabio Meneghini.
Ela tem mais ou menos 12 cm de altura e é uma vaca de corrida com veda-rosca nas canelas.

 Escrito por Gustavo Duarte às 09h48
[   ] [ envie esta mensagem ]




Calado



Aí um outro desenho para a revista Nova Escola.
Foi feito para a edição de setembro.
A matéria falava sobre crianças caladas.
Aproveitei para homenagear o meu amigo Leo, que também pouco fala.
Quando criança ele deveria ter essa cara com esse abrigo azulzinho aí.

 Escrito por Gustavo Duarte às 11h18
[   ] [ envie esta mensagem ]




Estamos Serenatando



Atendendo a pedidos, um cupido do Serenata de Amor.
Sendo mais específico, o Felipe e o Oliveli viram os cupidos do Serenata de Amor
e perguntaram aqui no blog se fui eu que fiz.
Aí está. Por essa eu não esperava.
Grato pela atenção caríssimos.
Além da minha mãe, eu não achava que fossem reconhecer meu traço tão de bate-pronto assim.
Na verdade, além deles e da minha mãe, meu grande camarada Mario Alberto também ligou perguntando.

Fiz esses desenhos em abril ou maio. E agora sairam.
Estão nas figurinhas do bombom Serenata de Amor em todas as quitandas, mercados, padarias e
secos e molhados do país.
Ao todo foram feitos seis cupidos, mas na última hora este que coloquei aqui acabou não indo para o ar.
O curioso é que este é o meu predileto.

 Escrito por Gustavo Duarte às 11h02
[   ] [ envie esta mensagem ]




Um, Dois, Feijão com Arroz...



Olha aí a minha charge de hoje.
Mais uma vitória Tricolor sobre o Corinthians esse ano (a terceira em três jogos).
Com esse jogo o São Paulo soma 8 jogos sem perder para o rival (quase três anos).
Para quem não acompanhou as declarações antes do jogo, vai aí um resumo:

O quarteto de ataque corinthiano começou a ser comparado com o "quadrado mágico" da seleção.
Então, Amoroso tratou de dizer que para se comparar ao quarteto da seleção os corinthianos
precisavam comer muito arroz e feijão.
E é claro que isso acabou causando uma polêmica grande antes do jogo.

Já durante o jogo, Amoroso acabou sendo o melhor jogador em campo, marcando dois gols,
ajudando o São Paulo a vencer e assim manter o tabú.


 Escrito por Gustavo Duarte às 09h58
[   ] [ envie esta mensagem ]





 
Histórico
  Ver mensagens anteriores

Outros sites
  Bá e Moon
  Baptistão
  Braga
  Cako
  Cárcamo
  Cris Peter
  Danilo Beyruth
  Eduardo Medeiros
  Grampá
  Hiro
  Junião
  Karmo
  Lucas Leibholz
  Mario Alberto
  Mateus Santolouco
  Orlando
  Rafael Albuquerque
  Samuel Casal
  Sara Mello
  Tiago Hoisel
  Meu Twitter